• Abrindo o Bico: Marcie Abre o Bico e conta como é a sua New York.. e conta com participações mais que especiais..
  • Turomaquia: Um site para babar sobre Turismo Cultural.. Patricia "A DOUTOURA" arrasa nos posts e fotos..
  • SundayCooks: Fred: o Tecnológico.. Nat: a Bailarina.. e juntos viajam e se divertem na cozinha..
  • Pelo Mundo: Mari e suas aventuras.. a busca por um bom restaurante, um hotel bacana.. e pouca, muita pouca bagagem..
  • MauOscar: Mauricio e Oscar.. Depois de morarem em Cingapura, hoje residem na terra do Tio Sam.. mas ainda tem outros tantos países na listinha..
  • Louvre pela Janela

    Se tem algo que eu realmente curto no Louvre, é a paisagem pela janela.. Não importa o corredor, andar que você está, a vista vai ser sempre deslumbrante..

  • 100 Anos da Enchente de Paris

    Há apenas cem anos, grande parte da cidade ficou debaixo d'àgua por mais de uma semana, no final de Janeiro, inicio de Fevereiro.. A "Cidade Luz" não só foi inundada, mas mergulhou nas trevas e paralisou.. Eletricidade, água, coleta de lixo, tudo foi atingido..

  • Capela Real de Dreux

    Erguido em 1816 no local da antiga fortaleza dos Condes de Dreux, a Capela Real, "alargada" em 1840 pelo futuro rei da França, Louis Philippe, abriga os túmulos da família de Bourbon-Orleans.. Mais do que um simples túmulo, é um trabalho completo de arte para a glória do monarca..

  • Finalmente Nevou

    Uma das minhas grandes alegrias tem nome.. e ela se chama: NEVE.. é até um pouco ridículo falar, mas AMO qualquer floquinho que cai, e curto muito mesmo..

  • 25 de nov de 2010

    ☆ Os "quase" 101 anos da Grande Enchente de Paris ☆

    Posted by Martinha On 19:59

    Há apenas cem anos, grande parte da cidade ficou debaixo d'àgua por mais de uma semana, no final de Janeiro, inicio de Fevereiro..

    Uma exposição na Biblioteca Histórica da Cidade de Paris recorda recordou o evento que na época foi amplamente divulgado..  A magnitude do desastre, mas também fotografias, postais, jornais de circulação geral ilustrado com fotografias e cinejornais, ajudou a escrever a enchente de 1910 em memória coletiva.. Mais de duas centenas de trabalhos, a maioria inéditas, são foram apresentados ao público até 28 de Março..

    O início do que foi uma semana com "terríveis condições de mau tempo" veio logo após um verão especialmente chuvoso (1909), e deu lugar à um inverno marcado por fortes chuvas e nevascas pesadas que saturaram a terra e elevaram o nível do Sena.. Não tenho como descrever a magnitude do que foi.. se eu não tivesse visto as fotos, e alguns vídeos (todos os canais já começaram a apresentar especiais sobre os 100 anos) talvez não acreditasse.. As fortes chuvas começaram no dia  18 de Janeiro  provocando inundações do rio e seus afluentes, abrangendo a área de Paris, onde o nível do rio Sena subiu 8,50m (28 de Janeiro)..
    A enchente de 1910 é a segunda maior depois de 1658, que atingiu 8,81 m..
    "Mas pela primeira vez, temos sido capazes de manter a memoria graças aos impressionantes avanços tecnológicos em fotografia e filme.. A água tomou conta da moderna rede de esgotos e túneis dos metrôs em construção, em particular, a linha norte-sul, e seguiu um braço antigo abaixo do Sena, que remonta a Gare Saint - Lázare, um verdadeiro lago que se formou nesta estação, mas mesmo assim longe do Sena.. Quanto às estações ao longo da Orsay e Invalides, elas estavam completamente inundadas.. A água subiu muito alto na Gare d'Orsay, a tal ponto que uma locomotiva e seus carros ficaram completamente submersas.." disse Emmanuelle Toulet, chefe da Biblioteca Histórica da Cidade de Paris e organizadora da exposição..
     
    Gare de Invalides

    A "Cidade Luz" não só foi inundada, mas mergulhou nas trevas e paralisou.. Eletricidade, água, coleta de lixo, tudo foi atingido.. Transportes foi interrompido, e Paris  era considerada  a cidades melhor estruturada do mundo nesta área, com cinco linhas de metro e quatro em construção; e uma rede ferroviária ligando a província inteira..

    Os transportes fluviais, enquanto ativos, também estavam interrompidos.. Barcaças e barcos ficaram presos entre as duas pontes por mais de um mês.. Enquanto  isso a propagação da água ao longo de doze "arrondissement", fazia Paris parecer Veneza.. As fotos falam por si: calçada esburacada, o solo, literalmente, desabou como o Boulevard Haussmann e Rue Saint Honoré, o Boulevard Saint-Germain se tornou um canal, a Gare de Lyon e o Boulevard Diderot completamente cobertos pela água..
    "A Paris jamais vista" foi fotografada extensivamente tanto por amadores - alguns álbuns podem ser vistos na exposição, são profissionais de todo o mundo..  na sua grande maioria são fotógrafos americanos e britânicos..

    No total, mais de cem fotografias são expostas, mas o interessante mesmo são os mais de 5.000 cartões postais.. A grande maioria dos "documentos" pertence à Biblioteca Histórica da Cidade de Paris e foram recuperados de agências de noticias da época..
    Há também vídeos - um Inglês e um francês - apresentados na fase final da exposição e dão vida às cenas estáticas a partir das fotografias: parisienses caminhando sobre as calçadas ou esperando o barco para atravessar a rua, barcos oficial da Marinha Berton..
    Os pintores também foram às ruas com seus cavaletes e nos deixaram belíssimas pinturas da inundação: um barco encalhado Boulevard Haussmann, ou o belo design das ruas inundadas de Lyon com a fila para embarcar em um barco..
    O barco virou o transporte comum, e algumas fotos mostram jangadas bastante incomum, feito de tábuas e grades..
    Mas as cheias também têm destaque na idéia de que o Estado deve apoiar os cidadãos e esta foi a primeira vez que o dever de assistência foi posto em prática pelo governo..
    Assim, Jean-Jaurès escreveu 28 de Janeiro no L'Humanité:
    "Uma sociedade onde os cidadãos são os elementos, portanto, a critério é como uma casa sem telhado".
    O declínio das águas começa à partir de 28 de Janeiro, mas a mobilização continua, pois ainda é necessário evacuar a água que é bombeada e rejeitada no Sena e, especialmente, sobre as medidas sanitárias tomadas para evitar o risco de contaminação.. A memoria da última epidemia de colera em 1886 ainda estava viva .. Foram destribuidos desinfetantes e anúncios  de marcas de produtos para limpar a água porque o sistema de água potável estava contaminada..

    Muitas fotografias mostram os parisienses no processo de lavagem das paredes para se livrar da lama.. Por vários meses, os restos de cerca de 80.000 caves inundadas ou lojas lotavam as ruas de Paris.. As estradas foram danificadas consideravelmente, todas as ruas afetadas foram totalmente refeitas.. Monumentos e edifícios que sofreram: a Capela Santa Escola de Belas Artes, o Instituto de França.. E o mais incrível, na enchente teve apenas uma morte - um jovem que tinha feito um barco e  se afogou, foi varrido pelas águas - teve cerca de 200.000 desabrigados.. Em Paris e arredores, essencialmente, uma bacia na confluência de três rios, a inundação causou um número estimado de € 1,6 bilhão em prejuízos, em euros hoje.
     
    Mapa com as áreas atingidas
    A exposição evoca rapidamente o que foi feito para evitar novas inundações graves, incluindo reservatoriosMairies de Paris dando cursos preventivos à tragédia.. Falam tanto à respeito na televisão, que as pessoas estão fazendo um drama 20x maior que a gripe..
    Símbolo da marca de onde a água chegou continuam sendo lembrados até hoje, "1910" é pintada à mão, gravada ou cravada em fachadas e  nas pedras ao longo das margens do Rio Sena..

    24 rue Pavée
    (4e ) -  Tél. : 01 44 59 29 40
    Fax: 01 42 74 03 16

    Quanto à situação atual, o Pavillon de l’Eau (o mesmo da expo do Bob Esponja) está estava fazendo uma exposição mais técnica e cientifica dos dispositivos de prevenção.. A dimensão estética "do dilúvio como uma fonte de inspiração" também é mencionada, inclusive as fotomontagens de Herve Bernard imaginando Paris contemporânea tomadas pela água.. que me desculpem, mas é genial.. pelas poucas que vi.. Começou  20 de Janeiro e vai foi até 17 de Abril..
    .
    .A enchente de 1910 também é foi noticia no Louvre des Antiquaires, com exibições de jornais da época, através de uma das primeiras "edições especiais" que combina a reprodução de fotos e textos.. A exposição vai foi até 7 de março..

    Modernos dias parisienses, contemplando as fotografias antes de passar em ruas idênticas, como iriamos reagir??  Há o sentimento irritante em ver aquelas mulheres "transportando" todos aqueles vestidos, e os homens, invariavelmente, chapéu e bigode, eram muito mais duros do que nos.. Conveniências modernas ainda eram novidade e os parisienses da época haviam vivido sem elas a maioria de suas vidas..

    Telefones ainda eram escassos.. A eletricidade foi um novo luxo que apenas alguns "assinantes" desfrutavam.. Domicílios tinham estoques de carvão para aquecimento.. Como eles seriam hoje?? as redes de transporte público, os metros, inundados.. Mas em 1910, ainda havia 75.000 cavalos em Paris.. Eles foram postos em serviço, arduamente.. Contudo, mesmo assim, como o repórter do Le Figaro Georges Cain observa em um testemunho ocular em exposição na Galerie des Bibliothèques:
    "Aqui estamos nos, voltou no tempo de 20 anos.. Sem eletricidade, sem elevadores, sem telefones e parece insuportável para nos..  Imagine voltar no tempo 120 anos.. Aqui, 1910 não é água debaixo da ponte, é um barómetro para o futuro."
    Para mais Fotos:
    Paris sous les eaux Um otimo comparativo de 1910 - 2006
    [youtube=http://www.youtube.com/watch?v=nBwTTYzxHpk]

    ** Originalmente Publicado em: 21 de janeiro de 2010 às 20:07

    ☆ Happy Thanksgiving! ☆

    Posted by Martinha On 19:09

    “Mude..

    Mas comece devagar, porque a direção é mais importante que a velocidade.

    Sente-se em outra cadeira, no outro lado da mesa. Mais tarde, mude de mesa.

    Quando sair, procure andar pelo outro lado da rua. Depois, mude de caminho, ande por outras ruas, calmamente, observando com atenção os lugares por onde você passa.

    Tome outros ônibus. Mude por uns tempos o estilo das roupas. Dê os teus sapatos velhos. Procure andar descalço alguns dias.


    Tire uma tarde inteira para passear livremente na praia, ou no parque e ouvir o canto dos passarinhos.


    Veja o mundo de outras perspectivas. Abra e feche as gavetas e portas com a mão esquerda.


    Durma no outro lado da cama… depois, procure dormir em outras camas.


    Assista a outros programas de tv. Compre outros jornais. Leia outros livros. Viva outros romances.


    Não faça do hábito um estilo de vida. Ame a novidade. Durma mais tarde. Durma mais cedo.


    Aprenda uma palavra nova por dia numa outra língua. Corrija a postura.


    Coma um pouco menos, escolha comidas diferentes, novos temperos, novas cores, novas delícias.


    Tente o novo todo dia, o novo lado, o novo método, o novo sabor, o novo jeito, o novo prazer, o novo amor, a nova vida.


    Tente. Busque novos amigos. Tente novos amores. Faça novas relações.


    Almoce em outros locais, vá a outros restaurantes, tome outro tipo de bebida compre pão em outra padaria.


    Almoce mais cedo, jante mais tarde ou vice-versa.


    Escolha outro mercado, outra marca de sabonete, outro creme dental, tome banho em novos horários.


    Use canetas de outras cores. Vá passear em outros lugares. Ame muito, cada vez mais, de modos diferentes.


    Troque de bolsa, de carteira, de malas, troque de carro. Compre novos óculos. Escreva outras poesias.


    Jogue os velhos relógios, quebre delicadamente esses horrorosos despertadores.


    Abra conta em outro banco. Vá a outros cinemas, outros cabeleireiros, outros teatros. Visite novos museus.


    Mude. Lembre-se de que a Vida é uma só.

    E pense seriamente em arrumar um outro emprego, uma nova ocupação, um trabalho mais light, mais prazeroso, mais digno, mais humano.

    Se você não encontrar razões para ser livre, invente-as. Seja criativo.

    E aproveite para fazer uma viagem despretensiosa, longa, se possível sem destino. 

     Experimente coisas novas. Troque novamente. Mude de novo. Experimente outra vez.

    Você certamente conhecerá coisas melhores e coisas piores do que as já conhecidas, mas não é isso o que importa.

    O mais importante é a mudança, o movimento, o dinamismo, a energia.

    Só o que está morto não muda !

    Repito, por pura alegria de viver:

    A salvação é pelo risco, sem o qual a vida não vale a pena.”

    (Edson Marques)

    24 de nov de 2010

    ☆ Marchés de Noël à Paris 2010 ☆

    Posted by Martinha On 12:42


    A temporada de inverno na "Cidade Luz" se sentiria menos alegre e inspirada, sem os seus tradicionais mercados de Natal que surgem a cada ano..

    Os mercados, com seus chalés de madeira oferecendo vinho quente, pão de especiarias,  especialidades de várias regiões da França, são uma parte essencial de comemorar o Natal em Paris..
    Eles também fazem parte de um passeio ideal com crianças.. Visite um dos muitos Marchés de Noël espalhados pela cidade para entrar no clima de Natal, ou saborear as guloseimas e ainda comprar brinquedos artesanais, roupas e outros artigos para presentes e decoração..
    Os Marchés de Noël têm suas origens na região da Alsácia do Norte, que já pertenceu à Alemanha em momentos diferentes da história e, portanto, baseia-se em tradições alemãs.. (que por sinal os Marchés de Noël na Alemanha são de tirar o fôlego de tão lindos)..
    O mais famoso e maior na França fica em Estrasburgo, a capital da Alsácia..


    Marché de Noël Champs-Elysées
    De 19 Novembro 2010 - 3 Janeiro 2011
    Avenue des Champs-Elysées
    75008
    Metro : Charles de Gaulle Etoile
    RER : Charles de Gaulle Etoile


    Marché de Noël Trocadéro
    De 9 Dezembro 2010 - 29 Dezembro 2010
    75016
    Metro Trocadéro
    RER : Champ de Mars-Tour Eiffel






    L'Arche de Noël à la Défense
    De 24 Novembro 2010 - 27 Dezembro 2010
    De 11h à 20h30 de Domingo à Sexta-Feira
    De 10h00 à 20h aos Sábados
    ESPLANADE DE LA DEFENSE
    92800 LA DEFENSE
    Métro : Grande Arche de la Défense
    RER : La Défense

    Marché de Noël Place Saint Sulpice
    De 11 Dezembro 2010 - 24 Dezembro2010
    Place Saint-Sulpice
    75006
    Metro Saint-Sulpice
    RER : Saint Michel - Notre Dame


    Le Village du Père Noël sur la place Saint-Germain des Prés
    De 3 Dezembro 2010 - 2 Janeiro 2011
    Place Saint Germain-des-Prés
    75006
    Métro : Saint-Germain des Prés


    Marché de Noël Place des Abbesses
    De 1° Dezembro - 31 Dezembro 2010
    1, place des Abbesses
    75018
    Métro : Abbesses


    Marché de Noël de Montparnasse
    De 10 Dezembro 2010 - 2 Janeiro 2011
    Place Raoul-Dautry
    75015
    M° Montparnasse Bienvenüe


    Marché de Noël Place de la Nation

    De 1° Dezembro 2010 - 24 Dezembro 2010
    Todos os dias das 10h00 às 20h00
    Place de la Nation
    75012
    M° Nation


    Marché de Noël à la Gare de l’Est
    De 3 Dezembro 2010 - 18 Dezembro 2010
    75010
    M°Gare de l'Est


    Marché de Noël à la Maison de l'Alsace
    De 6 Novembro 2010 - 23 Dezembro 2010
    La Maison de l'Alsace
    39 avenue des Champs-Elysées
    75008


    Marché de Noël à Disney Village

    De 10 Dezembro 2010 - 2 Janeiro 2011
    Sàbado e Domingo das 11h às 21h30
    DISNEY VILLAGE
    77777 MARNE LA VALLEE
    RER : Marne la Vallée - Chessy


    ** Fotos tiradas de 2006 à 2009 **

    23 de nov de 2010

    ☆ 4 Anos na França ☆

    Posted by Martinha On 17:10

    Nada como começar o (de)NOVO Blog, no dia que completo 4 anos na França, e não o "4 anos longe do Brasil.."

    E o que é super engraçado.. pois nesses 4 anos longe, só fui ao Brasil em Setembro desse ano.. quase 4 anos depois de que vim.. e ainda no Brasil falei: "O Brasil é a minha Pátria, mas a França é o meu País.." 

    Ainda não sei ao certo o que pensar.. está tudo muito confuso dentro de mim.. Mas a verdade que a minha vida tem que ser construída aqui.. Afinal, escolhi morar na França, casei, tenho muitos planos para o futuro.. mas ainda tem muitas coisas em relação ao Brasil que me balançam.. ou talvez seja a total indiferença que me incomoda..

    Fiquei 2 meses no Brasil.. o que é nada para quem testava tanto tempo longe, e ao mesmo tempo uma eternidade.. Posso dizer que a primeira semana foi horrível.. nada me agradava, tudo estava me incomodando, dormia mal, queria voltar a todo custo.. nem mesmo a saudade que eu sentia do Brasil enquanto estava aqui fazia eu me auto aliviar: "Relaxe, agora você está no Brasil.. Aproveite!!" 

    Estava me achando a pessoa mais doida do universo em ter ido.. Humpt.. eu não fazia mais parte daquela rotina, daquela casa, daquela cidade.. mas para a minha sorte, com os dias tudo foi mudando, ou eu fui me ajeitando aquela vida..

    Mas lógico que nem tudo foi drama.. Revi e matei a saudade da minha BFF.. conheci pessoalmente o filho dela que é um Fofo.. meio que aliviei a minha culpa por não estar presente na gestação, nascimento, 1° ano, ... Curti muito mesmo e queria ter curtido muito mais.. e com certeza se pudesse escolher, a Lety e Ike estariam aqui do meu ladinho..

    O ruim dessa viagem, foi que quando já estava super adaptada, curtindo todas, amando coração de galinha cada vez mais, tive que voltar.. o último mês mesmo nem vi passar.. lógico, porque quando é ruim não anda, se arrasta!!

    E a despedida no aeroporto do Papi's e Mami's foi bem mais sofrida (para mim) dessa vez, do que da primeira vez.. chorei litros.. ='((

    Enfim.. comecei bem.. falei, falei, e não falei nada que queria.. lol

    Mas num próximo post farei uma super retrospectiva dos melhores momentos..

    =))

    22 de nov de 2010

    ☆ Salão Internacional da Agricultura 2010 ☆

    Posted by Martinha On 19:36

    Publicado em: 23 de março de 2010 às 20:55 

    Sàbado decidimos fazer um programinha diferente.. Fomos à "47e édition du salon international de l'agriculture"..

    Vacas, touros, cavalos, ovelhas, galinhas, porcos, coelhos, pombos e muitos outros, estavam todos unidos na "maior fazenda da França," que começou dia 27 de feveiro e terminou domingo passado, dia 07 de março, em Paris..

    Mesmo com a atmosfera no sector não estando muito boa neste ano, e depois de muitos protestos de agricultores franceses, a exposição contou com a participação dos "fazendeiros", como todos os anos, com os seus animais de estimação, seus produtos das vinha francêsas, participando de concursos de animais ou escolhendo um novo trator..

    Segundo todos os noticiários de segunda-feira, o Salão Internacional da Agricultura fechou as suas portas no domingo em um clima sombrio.. Agricultores, cuja profissão está passando por sua pior crise em trinta anos, espera agora que o presidente Nicolas Sarkozy coloque em prática as suas "promessas" para estabilizar a  indústria..

    Esta edição não quebrou o recorde de presenças no ano passado, segundo estimativas de sua direção, houve um pouco menos de 650.000 visitantes, contra os 670.000 em 2009..

    Para mim foi uma experiência diferente.. quando o Olive deu a idéia de irmos com os meninos, admito que não fiquei a mais animada, mas ok, os meninos iam gostar.. mas foi so' chegar là e sentir aquele "delicioso" cheirinho dos animais, que tudo mudou.. lembrei da infância, da férias na casa da minha avo', e tudo aquilo que passou e nunca mais vai voltar.. sei que no fim, aproveitei muito.. adorei e com certeza ano que vem, vou querer voltar..

    O mais impressionante foi a estrutura da exposição.. além de super organizado, utilizou todos os pavilhões do Porte de Versailles.. e eu que achei o Salão da Fotografia gigante.. :oops: agora vendo no mapinha, ele foi "minusculo".. foi no Pavilhão 4.. **essa semana tentarei falar dele também**
    O mundo agricola de 22 regiões da França metropolitana e ultramarina e 17 países representados em um único local, com mais de 1.000 expositores, 700 produtores, 1.000 agricultores e mais de 3.500 animais, todos em uma atmosfera festiva, calorosa e simpática.. Um verdadeiro deleite!

    A exposição foi dividido em 3 Pólos, para diferenciar bem a agricultura em todos os seus aspectos..

    Quando chegamos, caimos direto no Pavilhão 7.. que fazia parte do Pólo "Produtos" (pavilhões 3, 7,1 e 7,2)

    Lá você podia encontrar e saborear o melhor da produção local e das nossas regiões, mas também de outros países..  Todos podiam desfrutar e fazer compras, escolhendo um bom pão, queijo, peixe, carne, vinho, café, temperos, frutas, legumes, etc.. Estava tudo lá! A escolha para os mais interessados deveria ser muito dificil..

    Além disso, aulas de culinária e Enologia eram atração para os mais curiosos..


    Depois de saborearmos queijos, vinhos, macarrons, ... , decidimos ir ver os animais.. os Meninos jà estavam angustiados no tão sonhado encontro com cavalos, porcos, galinhas, pombos (sim, eles adoram pombos = sair correndo e tentar pegar um), vacas e tantos outros..

    Os Pavilhões 1 e 4 eram destinados aos Animais..

    Começamos pelo Pavilhão 4, onde estavam os cavalos, burros e afins..



    Eis que eu sou chata.. mas como assim não tinha nenhuma abertura para as crianças menores verem os cavalos?!! se você so' tem uma criança, màximo duas, ok.. mas quando se tem QUATRO, e ter que pegar todos para eles verem os cavalinhos é exaustante.. sem contar a briga, para quem vai ser o primeiro..


    A parte que todo mundo mais gostou nesse pavilão, foi sem dùvidas o "show" que assistimos.. nada de muito espetacular, Uauu!!, mas as crianças adoraram, e eu também..


    Saimos do show e fomos tentar achar a saida, para irmos para o proximo pavilhão..e acabamos não vendo os cachorros e gatos.. o que por um lado foi até bom, pois pelo que eu me conheço, e conheço H&J&T não sairiamos de là tão cedo.. eu mesma tenho uma certa aversão com gatos (não sou alérgica, nem nada), mas não acho eles "amigos" como os cachorros..

    Fomos para o Pavilhão 1.. onde podia se encontrar os mais belos exemplares de vacas (sim, elas são belas), suínos, cabras, galinhas, mas também, pássaros, e mesmo os peixes..



    E logo que chegamos, eis que encontro:


    Quase um:


    E o mais incrivel foi comprovar a semelhanças das Vacas com nos Mulheres, (não fazendo uso da piadinha infame) e porque não, com os homens também..

    Super Familia
    Talentosas
    Adoram um McDo
    Logo se tornam..
    Gordinhas
    mas.. também são Esqueléticas e Vaidosas
    Ao tal ponto de quererem ficar igual a...
    Rihanna
    Adoram uma Foto "Carão"
    Engraçadinhas
    E até brincam de Estàtua